terça-feira, 5 de outubro de 2010

O 5 de Outubro de 1910 e o banquete adiado

«A participação num banquete foi o último acto público do rei D. Manuel.
A 1 de Outubro de 1910 chegou a Lisboa o Presidente da república Brasileira, o marechal Hermes da Fonseca, que ficou alojado no Palácio de Belém. Logo no dia da chegada houve um banquete no Palácio das Necessidades e no dia seguinte Hermes da Fonseca visitou, em Sintra, as rainhas D. Maria Pia e D. Amélia, com quem almoçou.
No dia 3 o presidente brasileiro recebeu o monarca a bordo do couraçado presidencial S. Paulo e à noite ofereceu-lhe um banquete no Palácio de Belém. Foi no início do jantar que se divulgou a notícia de que a revolução republicana estava na rua. Algumas pessoas abandonaram o local. Os criados iam retirando apressadamente os talheres e afastando os pratos, para não se notarem as falhas. No final D. Manuel regressou ao Palácio das Necessidades, de onde partiu no dia seguinte para Mafra. Vindas de Sintra juntaram-se-lhe mais tarde as rainhas D. Maria Pia e D. Amélia. No dia 5 de Outubro era proclamada a República.
A família real dirigiu-se para a Ericeira e embarcou no iate Amélia, a bordo do qual já se encontrava o infante D. Afonso.
D. Manuel partia para o exílio sonhando com um regresso breve e ignorando que não mais veria Portugal.
Para sempre ficaria adiada a programada visita do rei ao Vidago, no dia 6 de Outubro. A recordar essa data ficou a ementa já impressa de um banquete que não passaria do papel.»

Texto extraído do Livro” Mesa Real. Dinastia de Bragança”, da autora, pp. 159-160.

8 comentários:

Ralf disse...

Olá Ana,
sabe me dizer o que é um S.M.S.?
o El-Rei era um S.M.F......
suspeita-se algo, uma sabotage, um comunista na imprensa?
Obrigado. Ralf

A.Teixeira disse...

Muito bem lembrado este episódio do presidente que ficou «entalado» no meio do golpe de estado mais o seu poderoso e portentoso couraçado São Paulo que, quiçá, em querendo, até podia ter alterado o desfecho da revolta (improvável que o Brasil já era então uma República).

Mas creio que há dois pormenores que vale a pena realçar para melhorar o poste:
1 - O senhor era ainda apenas o presidente eleito do Brasil que só viria a tomar posse daí por um mês, a 15 de Novembro.
2 - O senhor chamava-se Hermes, mas da Fonseca.

Ana Marques Pereira disse...

Ralf,
Realmente deve tratar-se de Sua Magestade Sr.El Rei em vez de Sua Magestade Fidelissima, como era mais frequente. Precisaria de consultar outras ementas para ver se esta era uma excepção, mas neste momento estão tão bem guardadas que não tenho um acesso fácil. Vou ficar alertada. Obrigada por estar tão atento

Ana Marques Pereira disse...

A. Teixeira,
Tens razão o nome correcto é Hermes Rodrigues da Fonseca. Ainda procurei um "Costa" no meio que tivesse justificado o lapso, mas não encontrei. Terei que rever o texto original, que já tem mais de 12 anos.
Quanto ao início do mandato foi realmente a 15.11.1910, em que tomou posse em sessão solene do Congresso Nacional. A Imprensa portuguesa da época identificava-o como Presidente eleito e teve honras de Estado pelo que na prática nada havia diferença. Um abraço.

Ana Maria Job disse...

Oi Ana!Achei muito interessante esse fato histórico.Tens o cardápio dos Banquetes?

Ana Marques Pereira disse...

Olá Ana,
As ementas desses dias não tenho. Apenas a apresentada e que deu azo ao tema.

Carlos Caria disse...

Ola Ana,
A data de 06 de Outubro de 1910, ficará ligada para sempre à inauguração oficial do Vigado Palace Hotel em Vidago, esse sim um facto histórico do termalismo e da hotelaria em Portugal.
Vou enviar-lhe alguns dos copos das aguas termais que tenho deste hotel.

Ana Marques Pereira disse...

carlos Caria,

Desconhecia completamente a data da inauguração do Vidago Palace, o que justifica a existência do menu para o banquete programado.
Obrigado pela informação.