domingo, 7 de maio de 2017

As grandes festas da Curia num prato

 Não foi fácil descobrir o que estava por detrás de um prato humorístico da Vista Alegre. Parti do título «Grandes festas da Curia» e do carimbo VA verde que o situavam entre 1922 e 1947 e ao fim de dois dias (um poste num blogue dá mais trabalho do que se pensa) consegui finalmente resolver o mistério.
Gustavo de Matos Sequeira. Colecção RCP  memórias da República.
Quando há dois dias felicitei a Ana Maria Proserpio pela sua comunicação «A mesa e o poder nas caricaturas da Primeira República» comentei que muitas vezes era extremamente difícil descobrir os visados nas caricaturas. Mal adivinhava que no dia seguinte me ia ver a braços com um mistério semelhante.
Hotel Frackfort em Lisboa com publicidade ao Palace Hotel da Curia e Bussaco. Foto Arquivo CML.
O tema focado diz respeito às grandes festas que tiverem lugar na Curia em 1927, entre 28 de Julho e 2 de Agosto, para promover turisticamente a região. No jornal «Sempre Fixe» de 16-6-1927 anunciava-se que se preparavam esses curiosos festejos e que ia ser tudo “à século XVIII”. Com ironia acrescentava: «excepto os bolos das províncias distantes que esses vão parecer do século XVII».
O envolvimento nacional foi grande e já em 26 de Maio a Câmara de Coimbra tinha deliberado conceder todas as facilidades a esta iniciativa do jornal O Século, que incluía no programa a eleição da rainha das festas e sua corte, pelo que seriam enviadas «as mais belas camponesas da região» pelas Câmaras dos distritos limítrofes de Coimbra, Aveiro e Viseu (Gazeta de Coimbra, 2º trimestre de 1927).
Baile. Foto ANTT.
Antes de falar nas festas em si falemos nas pessoas presentes no prato. À frente, comandando com um tambor onde se encontra escrito «O Século», encontrava-se a figura de João Pereira da Rosa. Seguia-se a de Gustavo de Matos Sequeira, o grande olisipógrafo, magro e com os dentes de fora, segurando nas mãos o projecto para a «Lisboa antiga» que viria a ter lugar nas festas da cidade em 1935. 
Jornal O Sempre Fixe de 16-6-1927.
Logo trás o representante do jornal O Domingo Ilustrado, que à data era dirigido por Leitão de Barros e Martins Barata. Este jornal foi acompanhando a iniciativa e publicou fotos do gigante cartaz publicitário erigido em Lisboa e mais tarde fez várias alusões às festas. Foi Leitão de Barros quem esteve envolvido na programação e fez todas as filmagens destas festas.
Jantar. Foto ANTT
Não me foi possível identificar a última figura, de ventre proeminente e chapéu à turca e espero que alguém o consiga fazer. Em cima a imagem de um cozinheiro em cujo avental se pode ler: Palace da Curia, Palace do Bussaco, Hotel Astória. Hotel Metrópole, Hotel Francfort e Hotel Europa, remete-nos para Alexandre de Almeida. O autor da paródia, ao vesti-lo com um fato de cozinheiro, insinua que foi tudo cozinhado por este último, provavelmente para dinamizar os seus hotéis.
O prato, que não está assinado, pintado à mão e desenhado minuciosamente, remete-nos para um caricaturista de qualidade. E quem era?. Nada menos que Amarelhe. No jornal «Sempre Fixe» de 16-6-1927 surge o desenho completo reproduzido no prato e lá se pode ver a assinatura de Amarelhe, não restando portanto dúvidas quanto à paternidade. A completar a crítica humorística uma cartela apresenta escrito: «E vá de roda, fecha a roda, que vão todos à Curia».
A primeira estrofe foi tirada de uma música popular açoriana chamada «Sapateia» e que reza assim:
«Vá de roda, fecha a roda,
Fecha de meia rodela,
Mal haja quem te dá penas,
Amada, querida, bela.»

Cartaz publicitário a anunciar as Festas de Verão da Curia. Foto ANTT.
Para anunciar as referidas festas foi colocado em Lisboa pelo jornal O Século um cartaz gigante, com 112 metros quadrados, perto da estação do Rossio.
As festas incluíram um desfile histórico com a actriz Palmira Bastos vestida com trajes do século XVIII conduzida numa carruagem do Conde de Farrobo, um jantar com baile com danças antigas, uma festa veneziana no lago, o já referido concurso, além de outras festividades.
 
Palmira Bastos no cortejo histórico. Foto ANTT.

Esta festa de Verão da Curia foi um sucesso. Como a caricatura dos intervenientes feita por Amarelhe foi parar a um prato de Vista Alegre já é mais difícil de explicar.

Sem comentários: