quarta-feira, 17 de junho de 2015

Tigelada da Beira Baixa

A tigelada das Beiras é servida no caçoilo
É considerada um doce regional em vários locais das Beiras. Antigamente estava associada à Páscoa, mas marcava presença nas mesas durante todo o ano nos casamentos e nos momentos de festas.
Caçoilo para tigelada

O que caracteriza a verdadeira tigelada é uma mistura de ovos batidos, a que se adicionam os aromas da canela e da raspa do limão, açúcar (antigamente amarelo), um pouco de farinha e por fim o leite (antigamente de cabra). Mas não só; devia ser cozido em forno não muito quente e a mistura introduzida num tacho de barro quente que na Beira Baixa se chama «caçoilo», aquecido previamente no forno.
Pequenas formas de barro vidrado, antigas, para tigeladas de Abrantes

É também a dimensão do recipiente onde coze que a distingue da tigelada de Abrantes e mostro dois recipientes distintos para exemplificar as diferenças.

É visível a diferença entre as duas formas de tigeladas
No final temos um doce alourado na superfície, de consistência semelhante à de um pudim, que permite ser cortado em fatias ou servido às colheradas.  

Um bom final de refeição que pode ser adaptado ao presente com o uso de um Pyrex, para quem não tem caçoilo e, claro, utilizando leite de vaca. 

1 comentário:

Luis Filipe Nortadas disse...

Não é só o recipiente que distingue a tigelada da Beiras da tigelada de Abrantes; a forma de cozer, também é diferente, sendo a sua consistência e aspecto diferente. A tigelada da Beira tem a consistência de um pudim e aspecto uniforme; a tigelada de Abrantes tem um aspecto de favo de abelha e uma consistência mais leve.