quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Pão de Rala, um doce conventual

Abri o livro “Évora” da autoria de Matos Sequeira publicado pela Empresa Nacional de Publicidade, nos anos 30, e fiquei fascinada pelos desenhos de Alberto de Sousa, que ilustram o texto. São imagens simples e depuradas, feitas a tinta da China, que mostram um Portugal antigo, que já não existe. Todas as imagens são perfeitas, não há objectos estranhos ou figuras indesejadas, porque foram desenhadas de uma forma ideal. Como são diferentes das minhas fotografias de edifícios em que existe sempre um carro a tapar as fachadas. Chamaram-me sobretudo à atenção as imagens da cozinha e refeitório do Convento de Santa Helena do Calvário. Esta foi uma casa religiosa da Ordem de Santa Clara, fundada em 1565, por iniciativa da Infanta D. Maria, filha de D. Manuel I. Era uma ordem pobre em que as freiras tinham por vezes dificuldades alimentares. De tal modo que utilizavam o chamado “Sino da Fome”, que faziam tocar quando os alimentos escasseavam. Alertadas as pessoas caridosas vinham trazer-lhes mantimentos. A doceira do Convento

Apesar destas carências ficou-lhes ligada a criação de um doce conventual chamado Pão de Rala.
Na história da sua origem teria estado uma visita do rei D. Sebastião ao convento. Pouco tendo para oferecer, a madre abadessa apresentou ao rei o que havia: pão ralo, azeitonas e água. Apesar de simples a refeição agradou ao rei que passou a dar uma tença ao convento. As freiras retribuíram com uma doçaria, que chegou até nós, e é agora vendida na Pastelaria Pão de Rala, em Évora. É um pão doce que é vendido acompanhado de azeitonas doces, feitas em massapão escurecido com cacau. Aqui lhes deixo as gravuras da cozinha conventual e a história do Pão de Rala, tal como chegou aos nossos dias.
“Se non è vero, è ben trovato".

4 comentários:

Anónimo disse...

A quem nunca provou os mimos saídos das mãos da D. Ercília doceira do "Pão de Rala" recomendo uma visita. É pertinho do antigo quartel "16" e do Rossio.
Não apenas os pães de rala mas os "rançosos", "encharcadas" e um doce que só comi feito por ela o "Torrão real de Évora" que é qualquer coisa de divinal.
E já agora, as empadas...
M Helena Figueiredo

Ana Marques Pereira disse...

M. Helena Figueiredo,

Confirmo as suas palavras que felizmente já tive a oportunidade de comprovar.

Antonio Mesquita disse...

Onde é a D Ercilia Pf?

Ana Marques Pereira disse...

António Mesquita,
Foi um anónimo que fez esse comentário mas ele explica o local que parece fácil para quem conheça Évora. Boa sorte.